Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A classificação da informação arquivística

documentado por encontrosdocumentais, em 27.11.13

Mudança de paradigma


Caracterizando-se o Presente pela Sociedade da Informação, à escala global, impõe-se, cada vez mais, a gestão da informação e dos documentos em ambiente digital, assim como a reutilização da informação, quer pela instituição produtora quer por terceiros. A prossecução de objetivos de gestão da informação em rede exige, porém, a normalização e a comunicabilidade da informação entre pessoas, singulares ou coletivas, públicas ou privadas. Este objetivo tornar-se-á possível ou mais facilitado na administração pública portuguesa através da normalização da gestão da informação, materializada num plano de classificação comum aos diversos organismos independentemente do seu nível: central, regional ou local. No entanto, é possível alcançar esse desígnio adotando o critério funcional, assumido pela Arquivística em termos internacionais, de que o melhor testemunho é a norma ISO 15489-2:2001 (NP4438-2:2005). Ao invés, tal não é possível tendo por base o critério orgânico, uma vez que a estrutura orgânica de cada organismo é única, sendo distinta de entidade para entidade, e alvo de constantes mutações.


Tendo assim por referência as funções, a classificação consiste em identificar e agrupar os documentos e a informação de âmbito arquivístico em classes ou categorias de acordo com a estrutura funcional e respetivas subfunções ou atividades das diversas entidades produtoras da administração pública, independentemente da sua natureza. Todavia, a adoção da classificação funcional é complexa, porque assenta na distinção clara entre órgãos, unidades orgânicas ou serviços e funções, quando as unidades administrativas se estabelecem, ou deveriam estabelecer, com base na especialização funcional. Todavia, a classificação baseada nas funções é nitidamente o critério mais estável, sendo tão objetivo quanto o orgânico, uma vez determinadas aquelas. E é também o critério que melhor parece considerar o respeito dos fundos, apesar de ser questionável a utilização do conceito de fundo no contexto da gestão da informação transversal a toda a administração pública portuguesa, como veremos adiante.


Em resposta aos contínuos desafios da modernização administrativa e do e-government, impõem-se novas políticas e instrumentos de gestão da informação e dos documentos arquivísticos, exigência que se estende também aos planos de classificação. Estes, desde há muito que parecem não responder de modo eficaz aos novos desafios, se continuarem a ser considerados apenas como ferramenta de organização e descrição dos fundos documentais. Prova disso é o facto de, ainda hoje, muitos municípios não usarem qualquer plano de classificação na gestão da informação arquivística quotidiana. Pelo contrário, o plano de classificação deverá ser um instrumento-chave na gestão da informação e dos documentos arquivísticos, assim como o reflexo das funções e das atividades em cada Organização. Se era reconhecida a sua importância nos sistemas de informação tradicionais, quando existiam, nos sistemas digitais de informação a classificação constitui um requisito obrigatório e imprescindível.


Com esta intervenção, pretendemos apresentar em traços gerais o novo Plano de Classificação para a Administração Local, de matriz funcional, com a versão 0.2 em curso, o qual será, em conjunto com a Macroestrutura Funcional (versão 2.0) e a Metainformação para a Interoperabilidade (MIP) um instrumento de gestão decisivo para a emergência de um novo paradigma na gestão da informação arquivística da Administração Local, na medida em que considera interinstitucional e transversalmente o universo da Administração Pública. (…)


Carlos Guardado da Silva


mudança


Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Depósito

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D