Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

Foto_Ricardo.jpg

 

Ricardo Pereira Triães

É licenciado em Conservação e Restauro (2001) pelo Instituto Politécnico de Tomar e mestre em Minerais e Rochas Industriais (2004) pela Universidade de Aveiro.
É doutorando em Geociências na Universidade de Aveiro e foi bolseiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.
É docente da Unidade Departamental de Arqueologia, Conservação e Restauro e Património do Instituto Politécnico de Tomar desde 2004. É diretor do Curso Técnico Superior Profissional de Produção Artística para a Conservação e Restauro e para além deste, colabora na licenciatura e mestrado em conservação e restauro do IPT.
Tem desenvolvido trabalhos na área da conservação e restauro de materiais e estruturas arqueológicas, azulejo e na área da produção artística em cerâmica.

 

Resumo

A tecnologia artística como meio de divulgação e preservação do património cultural

 

O processo de produção de muitas manifestações artísticas do nosso património cultural tem sofrido alterações, quer ao nível dos processos, ferramentas e até dos materiais. Em muitos casos algumas dessas técnicas deixaram de ser produzidas em detrimento de outras, por serem mais modernas, por uma questão de gosto, pelo tipo de materiais e técnicas empregues, por questões económicas, entre outras. O estudo destas obras, descobrindo os temas, as suas técnicas, materiais usados, modos de produção e o confronto com as necessidades de preservação, tem revelado alguns aspetos nem sempre descritos nos documentos da época.
A par de outras áreas, como a arqueologia ou a história da arte, a conservação e restauro tem tido um papel determinante para um melhor conhecimento deste património e para a sua preservação e divulgação ao público. As técnicas de produção artística aplicadas à conservação e restauro e à produção artística contemporânea são uma forma de preservar não só o património, como as técnicas e os materiais tradicionais.
O Instituto Politécnico de Tomar, nomeadamente através dos cursos de Licenciatura e Mestrado em conservação e restauro, e mais recentemente o Curso Técnico Superior Profissional (TeSP) em Produção artística para a conservação e restauro, vêm desta forma reforçar um dos seus eixos de ação, o Património Cultural.
Os trabalhos desenvolvidos neste âmbito, nomeadamente das técnicas de produção artística, têm envolvido nos últimos anos diversos públicos, naturalmente os jovens que frequentam a Licenciatura e Mestrado, mas também as crianças desde o 1º ciclo ao ensino secundário, tendo como ponto comum a experimentação de algumas destas técnicas.
No âmbito do TeSP em Produção artística para a conservação e restauro, atualmente a funcionar no Sardoal, tem mostrado que o desejo pelo conhecimento destas técnicas é transversal, desde os jovens que terminam o secundário, até pessoas com a sua formação secundária incompleta, licenciados em várias áreas e até pessoas reformadas das suas atividades profissionais.
Pretende-se que o conjunto de ações que temos desenvolvido possam ser uma forma de enfrentar alguns desafios que se colocam nos dias de hoje, aproximar as gerações e simultaneamente preencher esse tempo com “novos conteúdos” artísticos e tecnológicos e que são o nosso lastro cultural e identitário.

 

Realização de Workshop de cerâmica.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Depósito

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D