Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Acondicionamento e conservação de documentos gráficos

- O arquivo do Jornal da Mealhada -

Oficina de conservação de documentos gráficos destinada a público de bibliotecas e arquivos, que visa a identificação de danos comuns em documentos com suporte de papel e a aprendizagem de metodologias de conservação como higienização, intervenções mínimas de estabilização e acondicionamento.

Pretende que se adquira conhecimentos teóricos/práticos referentes à planificação e execução de operações de conservação e restauro de livros, identificando os factores que afectam e deterioram as colecções.

PLANO

  • A ética em conservação e restauro;
  • Fatores que afetam e deterioram as coleções;
  • Princípios de conservação e critérios de intervenção;
  • Os materiais utilizados na conservação e restauro;
  • Execução de reparações na capa do livro;
  • Execução de reparações no corpo do livro.

Maria do Céu Ferreira.jpg

Nota Biográfica e Curricular

Maria do Céu Ferreira é Mestre em Conservação e Restauro pela Universidade de Coimbra.

Iniciou o seu percurso profissional em 1995/97 com os cursos de “Encadernador” e “Encadernador/Dourador Manual”, com o total de 1918 horas, ministrados pelo Mestre Eliezer Fonseca, tendo terminado os mesmos com as classificações de 18 e 16 valores, respetivamente.

Após o curso de “Encadernador” foi estagiar na Escola-Oficina de Encadernação da Santa Casa da Misericórdia de Santarém, tendo concluído o estágio com a classificação de “Muito Bom”.

Em 1997 foi estagiar, durante 9 meses, nas Oficinas de Encadernação e Decoração de Livros na Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, sendo que no final do estágio, obteve a classificação de “Bom”, foi convidada a permanecer nas oficinas, tendo como chefes a Mestre Graça Jordão e o Mestre Manuel Mourão.

Em 2001, após ter sido convidada pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional a ministrar cursos de Encadernação, Conservação e Restauro de Livros, decidiu sair da FRESS em 2002, por incompatibilidade de horários.

Desde 2001 até à atualidade, não só ministrou formação (de longa e curta duração), para escolas/centros profissionais, bibliotecas públicas e outras instituições, como frequentou regularmente cursos, workshops e seminários, relacionados com a área do livro e das bibliotecas/arquivos, no sentido de enriquecer os seus conhecimentos e dar resposta às novas exigências (da formação e do mercado de trabalho). Em 2016 frequentou o curso “LAS TINTAS METALOÁCIDAS. TRATAMIENTOS DE CONSERVACIÓN-RESTAURACIÓN” no Taller de Restauració del Monestir de Sant Pere de les Puel·les.

Participou em concursos internacionais de encadernação; é coautora do “Manual Técnico - Encadernação Tradicional para Formadores/Formandos”, o qual obteve pelo avaliador a classificação de 78 valores numa escala de 0 a 100.

Durante 7 anos foi colaboradora na Conservação e Restauro do património edificado da Santa Casa da Misericórdia de Alenquer.

Em 2010, decidiu criar uma Empresa de Encadernação, Conservação e Restauro de Livros, sendo que no ano de 2011 abriu em Coimbra a sua oficina chronospaper® (registada no INPI- Instituto Nacional da Propriedade Industrial). Esta oficina tem como colaboradores, profissionais nas seguintes áreas: História da Arte, Biblioteca, Arquivo, Conservação Restauro, Arquitetura, entre outros.  

Durante todos estes anos, prestou serviços de Encadernação, Conservação e Restauro de Livros para Empresas de Conservação e Restauro, entre estas podemos destacar o Instituto de Conservação e Salvaguarda do Património, Lda.  a  Conserva-me®, assim como para entidades públicas e privadas, salientando-se as seguintes: Câmara Municipal de Coimbra, Câmara Municipal de Águeda, Câmara Municipal da Mealhada, Câmara Municipal de Ílhavo, Câmara Municipal de Vila de Rei, Câmara Municipal de Ourém, Câmara Municipal de Penela,  Câmara Municipal de Mortágua, Museu Nacional Machado de Castro, Ordem dos Farmacêuticos do Centro, Tribunal da Relação de Coimbra, Colégio São Teotónio, Confraria da Rainha Santa Isabel, Fundação Bissaya Barreto, Escola Avelar Brotero , Fundação Escola Profissional de Setúbal, Arquivo Municipal do Porto, Santa Casa da Misericórdia de Coimbra, Santa Casa da Misericórdia de Galizes, Cáritas Diocesana de Coimbra, Fábrica da Igreja dos Olivais, Fábrica da Igreja da Sé Velha, Universidade Agostinho Neto – Luanda, Angola,  Instituto  Superior de Educação de Coimbra, Escola Superior de Enfermagem, assim como para diversos Institutos e faculdades da Universidade de Coimbra incluindo a Biblioteca Geral e Biblioteca Joanina.

No ano de 2012, criou um grupo de voluntariado para a Conservação e Restauro do acervo bibliográfico da CRSI- Confraria da Rainha Santa Isabel. Presta ainda serviços de consultoria, na área da Conservação e Restauro de Livros, para o Mosteiro de Bande, assim como para outras empresas de Conservação e Restauro do Património.

Nos últimos anos tem colaborado na execução de livros de artista para escritores, pintores, fotógrafos, arquitetos e alunos de diversas instituições e escolas de Artes e Design.

 

O arquivo do Jornal da Mealhada

O Arquivo do Jornal da Mealhada, propriedade da Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, foi inaugurado no dia 23 de agosto de 2015, data em que o jornal [Jornal da Mealhada] comemorou o seu 30º aniversário.

No arquivo podem ser consultadas todas as edições em formato de papel e on line, todos os documentos originais que deram origem à composição final do jornal, documentos da contabilidade, talões de pagamento de assinaturas, mas acima de tudo, memórias e histórias dos mealhadenses que ficaram guardadas em papel.

Também as fotografias que acompanham as notícias estão preservadas naquele espaço.

Por forma a salvaguardar o espólio documental, todos os jornais se encontram digitalizados, assim como os respetivos negativos e fotografias.

De modo a permitir uma pesquisa célere, os títulos de todas as notícias estão a ser copiados para uma base de excel.

O arquivo está disponível para consulta todos os dias úteis (9.30h às 16.30).

Claudia Emanuel.jpg

 

Nota Biográfica e Curricular

Cláudia Emanuel, 40 anos, natural de Vacariça, Mealhada, mestre em Património Artístico e Conservação e Doutoranda em Conservação de Bens Culturais na Universidade Católica do Porto. Atualmente é Conservadora de Património (Arquivo e Património) na Santa Casa da Misericórdia da Mealhada.

 

CURRICULO PROFISSIONAL

Entre 1999 e 2011 lecciona no ensino público e privado (Básico e secundário) as disciplinas artísticas (História da Arte, Oficina de artes, Arte e design, Educação Visual, Educação Visual e Estética, Meios de expressão Plástica e Educação Tecnológica).

2013 até ao presente: Conservadora de Património (Arquivo e Património) na Santa Casa da Misericórdia da Mealhada.

 

CURRICULO ESCOLAR

2001 - Licenciatura em Pintura pela ARCA /EUAC – Coimbra

Curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores. Tecla – Coimbra.

Entre 2001 e 2015 frequentou no Centro de Formação Profissional do Artesanato – CEARTE – os seguintes cursos: Azulejaria; Pastas e Vidrados; Projectos para a cerâmica; Rakú; Vitral Tiffany e Calha de Chumbo; Decoração Cerâmica; Fusing e Termoformando; Azulejaria de aresta; Técnicas de ilustração; Serigrafia têxtil; Moldes para a cerâmica; Técnicas de tecelagem; Revestimentos cerâmicos aplicados à arquitectura; Técnicas de Feltragem Manual; Porcelana á Lastra; Mosaico com Vidro; Construção de caixas de arquivo; Técnicas de encadernação tradicional.

2003 – Curso de História de Arte Moderna e Contemporânea (Orientado pelo dr. Fernando Pernes) – Coimbra.

2005 – Curso livre de «Conservação e restauro de núcleos históricos». FLUP, Porto.

Curso «Concepção e desenvolvimento de projectos cerâmicos para arquitectura» (Orientado pelo mestre Eduardo Nery). Cencal, Caldas da Rainha.

2006 – Curso livre de «A pintura mural: Técnicas de execução, causas de alteração e processos de conservação. A pintura a fresco em Portugal». FLUP, Porto.

2007 - Mestrado em Património Artístico e Conservação pela Universidade Portucalense, Porto, com dissertação subordinada ao tema «Artes decorativas nas fachadas da arquitectura bairradina. Azulejos e fingidos (1850-1950)».

 

PRÉMIOS

2012 – Prémio: Investigação – História da Arte. “Artes decorativas nas fachadas da arquitectura bairradina. Azulejos e fingidos 1850-1950”. Prémios SOS Azulejo 2011.

 

PUBLICAÇÕES                   

2005 – “A festa na Mealhada” – Revista do GEDEPA, Pampilhosa (Dez. 2005), p. 59-72.

2010 – “Os azulejos de Jorge Rey Colaço no Hospital António Lopes, na Póvoa de Lanhoso”. In Matrizes da investigação em artes decorativas, CITAR, Universidade Católica Portuguesa, Porto, p. 107-126.

2014 – “A construção da Igreja Paroquial da Mealhada”. Ed. Santa Casa da Misericórdia da Mealhada, Mealhada, 2014.

2015 – “Artes decorativas nas fachadas da arquitectura bairradina. Azulejos e fingidos (1850-1950)”. Ed. Câmara Municipal da Mealhada, 2015.

 

EXPOSIÇÕES ARTÍSTICAS Entre 1999 e 2002: 11 Exposições Individuais e 17 colectivas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Depósito

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D